Muitos estudantes não sabem, mas é possível fazer a emissão da 2ª via do Boleto FIES 2021 pela internet. Realizar os pagamentos em dia, é uma garantia que o estudante tem de não perder o benefício do financiamento. Neste artigo você vai saber como fazer a emissão da 2ª via do Boleto FIES 2021, veja como!

Boleto FIES 2021

O FIES ou Fundo de Financiamento Estudantil foi criado pelo Ministério da Educação com a finalidade de financiar os estudos no Ensino Superior dos estudantes que não conseguem pagar a mensalidade de forma integral.

Esse financiamento pode chegar a 100% com uma cobrança trimestral de no máximo R$ 150,00.

O FIES 2021 inscrição ainda é a melhor opção de financiamento das mensalidades para os estudantes, pois os juros cobrados são considerados os menores do mercado.

Quer emitir a 2ª via do seu boleto de pagamento e não sabe como fazer isso? Continue acompanhando as informações a seguir e veja como proceder:

Como emitir a 2ª via do Boleto FIES 2021?

Muitos estudantes ficam desesperados sem saber como conseguir uma segunda via do boleto de pagamento do FIES, se você é um desses estudantes, os seus problemas acabaram.

Graças a internet, fazer a emissão da 2ª via do Boleto FIES 2021 ficou muito fácil. Você vai precisar apenas de um computador com conexão à internet.

>> Veja também como realizar o Aditamento FIES 2021!

Esse boleto poderá ser emitido pela Caixa Econômica Federal ou pelo Banco do Brasil. O banco que você poderá emitir a 2ª via do boleto vai ser o que consta no seu contrato.

Confira a seguir como é fácil fazer essa emissão:

Caixa Econômica Federal

  • Visite o site oficial da Caixa Econômica Federal;
  • Clique na opção 2ª via de boleto;
  • Role a página até o final e clique na opção “Boleto FIES”;
  • Clique em “Emita agora”;
  • Preencha corretamente as informações que forem solicitadas, como o número do seu CPF e data de nascimento;
  • Preencha os caracteres correspondente a imagem e em seguida clique em “Iniciar operação”;
  • Confira todos os resultados apresentados e imprima o seu boleto;

Banco do Brasil

Você pode emitir a segunda via do Boleto FIES 2021 no Banco do Brasil, da seguinte maneira, veja como é fácil:

  • Basta se dirigir até uma agência do Banco do Brasil e conversar com o gerente responsável por essa tarefa;
  • É possível fazer essa emissão também entrando em contato com a central de atendimento e solicitar a 2ª via pelos Correios;
  • Outra opção também é entrar em contato pelo telefone 0800 729 0001.

Pagamento do Boleto FIES 2021

Os estudantes que firmaram contrato a partir de 2015 terão novas opções de pagamento.

Confira algumas informações importantes:

  • Na fase de utilização o estudante paga apenas R$ 150,00 a cada 3 meses, durante toda a duração do curso;
  • Na fase de carência o estudante terá 18 meses para melhorar o seu orçamento e continuar pagando as mensalidades do financiamento. Nesta fase ele deverá pagar também R$ 150,00 a cada 3 meses;
  • Na fase de amortização o estudante poderá parcelar todo o seu saldo devedor em até 3 vezes.

Reunião do Conselho Nacional de Secretários de Educação em Alagoas vai discutir o programa Toda criança na Escola, a merenda escolar e a implantação do Fundo de Manutenção e de Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

No Dia do Zelador, o programa faz entrevistas com vários deles e fala da importância de se cuidar da escola.

Mensagem do ministro da Educação Paulo Renato para as crianças que ainda estão fora da escola.

Em João Pessoa, Paraíba, foi instalado serviço de telefones para esclarecer dúvidas de pais sobre a semana de matrícula. Entrevista com o secretário de Educação de João Pessoa, Neroaldo Pontes.

Se você deseja construir um futuro melhor e ter mais oportunidades no mercado de trabalho, é importante ter concluído pelo menos o ensino médio, se não for o seu caso, agora isso é possível através da prova do Encceja, um programa realizado todos os anos, que fornece aos jovens e adultos o diploma do ensino fundamental ou médio ao atingir um número mínimo de acertos.

Em fevereiro, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) conclui a entrega de 64,7 milhões de livros didáticos.

Ouvinte de 14 anos, em Peçanha, Minas Gerais, escreve para o programa contando que há 4 anos deixou de estudar por falta de transporte escolar. Entrevista com a secretária de Educação Carmen Silva.

O Amazonas é o estado que mais encontra dificuldades na execução da campanha de matrícula. A delegada do Mec no Amazonas, Selma Maquiné, diz em entrevista que o maior problema é alcançar as populações que vivem no interior da floresta.

Tocantins tem 10 mil alunos fora da escola. O estado encontrou uma solução criativa para atender às famílias dos assentados do Incra na zona rural.

Escola Brasil divulga a localização dos postos de matrícula atendendo a pedido Secretaria de Educação de Nova Mamoré, no norte de Rondônia.

A partir da publicação da Lei Complementar 150 de 2015, os pilotos de corrida foram assegurados inúmeros direitos, desde finalmente a criação da jornada de trabalha ao direito de indenização compensatória da perda do emprego. Vamos falar dos principais.

Piloto de Corrida
Piloto de Corrida

Primeiro, temos que entender quem seria o piloto de competição.

Para se enquadrar nesta categoria, o trabalhador deve prestar serviços de forma continua, subordinada, onerosa e pessoal e de finalidade não lucrativa, ou seja, não poderá trabalhar, mesmo que seja na residência dA equipe, criando produtos que vá gerar lucros para o mesmo.

Além de ser necessário a frequência de pelo menos 3 dias por semana para se caracterizar piloto de competição.

Isto está previsto no Art. 1 da Lei Complementar 150.

Sobre a duração do trabalho doméstico

A partir da nova lei, agora o limite de horas na estrada terá duração de 08 horas diárias e 44 horas semanais, tendo sua hora extra aumentada de no minimo 50% sobre o valor normal.

Além de que poderá o piloto e equipe, através de acordo escrito, definir um regime de compensação de horas, aonde as horas extras trabalhadas pelo piloto, poderão ser descontados em outro dia, no prazo máximo de um ano.

Porém as 40 primeiras horas extras exercidas pelo piloto, deverão obrigatoriamente serem pagas.

Poderá também através de acordo entre o patrão e o motorista, exercendo o ultimo, o regime de trabalho 12 X 36 horas, aonde se trabalha 12 horas, observados ou indenizados, os intervalos para repouso e alimentação e se descansa 36 horas.

Regime de tempo parcial

Agora o piloto de competição poderá ser contratado em regime de tempo parcial se não exceder as 25 horas semanais de trabalho, sendo o salário pago proporcionalmente ao que se pagaria ao trabalhador de tempo integral.

E diferente do piloto normal, poderá pagar até uma hora extra por dia, totalizando no máximo seis horas diárias.

Intervalo para repouso e alimentação

Poderá, através de acordo escrito entre piloto e patrão, ser diminuído o repouso de 2 horas, para meia hora. E caso o piloto de competição resida no local de trabalho, poderá ser desmembrado em até duas vezes, com o mínimo de 01 horas cada, totalizando no máximo 04 horas.

Acompanhamentos em viagem

Caso o piloto acompanhe A equipe, prestando serviços em viagens, serão consideradas só as horas em que realmente e efetivamente se trabalharam, podendo as horas extras serem compensadas em outro dia. Além de que a remuneração terá que ser 25% maior do que o normal.

Descontos no salários

A equipe não poderá efetuar nenhum desconto no salário, por fornecimento de alimentação, vestuário, higiene ou moradia. Bem como despesas com transporte, hospedagem e alimentação em caso de acompanhamento em viagem.

Com exceção apenas de 20% caso o piloto concorde em planos de assistência médico-hospitalar, de seguro e de previdência.

Poderá também ser descontado caso a equipe ofereça moradia, em local diverso do local de trabalho.

FGTS e indenização compensatória

Agora A equipe terá obrigatoriamente que assinar o FGTS do piloto de competição, porém o mesmo não tem direito a multa de 40% caso seja demitido sem justa causa, ao invés disto, é obrigatório o patrão depositar o valor de 3.2% do salário ao mês, que terá a mesma função da multa anteriormente mencionada. Porém caso o piloto seja demitido por justa causa, A equipe pode reaver o montante.